Cadernos, cadernos, cadernos! – Miolito em Madrid

eu-no-parque

Faz um mês que cheguei na Espanha, e já tava na hora de atualizar isto aqui! Admito que aproveitei para descansar um pouco e tomar um tempo para mim… depois de trabalhar tanto nos últimos tempos, senti a necessidade de chegar em Madrid e relaxar. Agora com as baterias recarregadas e o curso finalmente começando, muita produção está por vir! 😀

Mas ainda não falarei sobre meu curso, porque este post já está na fila de espera a muito tempo (culpa do meu perfeccionismo!). Como mostrei no meu instagram e facebook a um mês atrás, recebi pelo correio um presente maravilhoso, uma caixa cheia de cadernos artesanais da Miolito ❤ Eu, uma pessoa viciada em cadernos, óbvio que surtei. Já faz tempo que namoro os produtos da Cajila e do Felipe (que são os responsáveis pela marca), mas como estou tentando controlar meu consumo por cadernos, resolvi esperar acabar os que eu já tinha, antes de adquirir novos. Mas olha o destino, no fim aqui estou eu cheia de cadernos de novo! Haha. Mas desta vez o momento é totalmente favorável, já que estou num curso de estamparia que valoriza muito o desenho manual, e com certeza os cadernos vão acabar rapidinho.

1_2

Então agora vamos a parte baba-ovo <3. Eu não apenas recebi cadernos, mas chegou pelo correio uma caixa que dentro havia um lindo pacote, com meu nome escrito num coração, e vários cadernos diferentes, coloridos, todos lindamente embalados, com descrições técnicas, tudo feito à mão. Eu achei tudo tão impecável que demorei SEMANAS para abrir os cadernos. Poderia colocar num quadro. Sem contar que veio junto uma cartinha escrita pela Cajila dedicada especialmente a mim, que me fez ter a sensação que nos conhecemos. Adorei todo o cuidado com tudo, além das embalagens que já mencionei, os cadernos em si são muito bem costurados. Qualidade nota dez 😀

2

17

3

Mas porque eu demorei tanto para abrir? Como sempre minha cabeça inventa coisas e no fim vou mudando de ideia e algo que era para ser simples, como testar os cadernos e contar sobre isso no blog, acabou virando uma crise de “que tema vou usar para desenhar nos miolitos??”. Sim, eu quis fazer um tema, e algo que tivesse a ver com Madrid, já que vim morar aqui. Depois de descartar mil ideias, gostei do plano de pintar/desenhar lugares que descobri nesta cidade maravilhosa. Então não será apenas um post falando sobre cadernos, mas também dando dicas legais de onde ir em Madrid 🙂 (Também mais pra frente farei um post exclusivo sobre isso, turismo “ilustrativo”, ou algo assim, hehe).

5

Começarei pelo primeiro lugar legal que descobri por acaso. O Parque del Oeste. Escolhi o caderno Sketchbook Aquarela Kiwi porque senti que tinha que ser uma aquarela de paisagem. A folha é de 300g, papel canson, exatamente o bloco que estou usando atualmente, que recomendei no post sobre meus materiais. Gosto bastante, e não tive problema nenhum em fazer uma pintura bem aguada. O legal é que mesmo se o papel enrugar um pouco, o elástico que fecha o caderno é ótimo para juntar as páginas e deixar elas retinhas novamente. E sobre o parque, ele é GI-GAN-TES-CO, e tem lugares ótimos para picnic e jogar uma canga pra dormir a siesta.

8

14

O segundo lugar que descobri foi o Museo ABC. Esse foi um achado bem inusitado, porque estava eu perdida em ruazinhas por aí, e em uma delas, super pequena, havia um museu todo moderno por fora, e resolvi dar uma checada. Para minha surpresa o Museu é especializado em ILUSTRAÇÃO. Vocês devem imaginar minha cara de felicidade quando entrei, e ainda por cima dentro tem uma loja só com LIVROS ILUSTRADOS. É um sonho. Melhor lugar! E quase tive um infarto quando saindo de lá descobri que aquela ruazinha estava super perto da minha casa! Já sou cliente VIP. Vou quase toda semana, hahah. E apesar de ser um lugar super legal, é bem desconhecido, e a maioria das pessoas nem sabe da existência. Detalhe: é grátis. Quem vier pra cá, não deixa de dar uma passada! 🙂 Bom, o caderno que resolvi usar foi o Sketchbook Kraft Amarelo que tem folhas mais finas, na gramatura 90. Muito bom para técnicas mais secas ou até semi-úmidas, como canetinha. O papel aguentou super bem.

6

15

O terceiro lugar que descobri por acaso e também quase escorreu uma lágrima (como tô sentimental, haha), foi a Rosaleda de Madrid. Lá estava eu adentrando outras partes do Parque del Oeste e do nada chego num lugar meio escondido que dá num jardim de rosas. É lindo de morrer. Tem rosas de todos os tipos e sempre rolam competições. Com certeza irei lá várias vezes para buscar referências floridas 🙂 O caderno que escolhi foi o meu favorito, o Sketchbook Linho Montval. Ele tem um acabamento diferenciado, com capa de linho e fecho. O papel é canson montval, e foi a primeira vez que usei. Gostei muito! Diferente do outro, este não tem uma textura com linhas, então a pintura fica diferente e mais suave.

9

13

O quarto lugar que escolhi foi o meu curso. Que foi uma descoberta também, muito por acaso! Agora que começaram as aulas percebi que foi algo maravilhoso que apareceu na minha vida. E a minha aula preferida, que foi com a professora Mónica Muñoz, me fez perceber que posso experimentar no mundo da padronagem e fazer coisas super espontâneas para criar minhas estampas. Então escolhi pintar algo assim, que veio das inspirações das aulas, e da minha vontade de experimentar. Admito que quando escolhi o caderno Sketchbook Grafite Mini não pensava em usar aquarela, porque a gramatura não é tão alta. Porém, me empolguei, aguei tudo, além de desenhar com canetinha, e apesar do papel ter ficado enrugado, o resultado da pintura foi bem satisfatório, então continuarei fazendo experiências e é isso aí! Hahah.

7

12

Também ganhei um Kit de Journals Solar. Eles são ótimos para rascunhos, desenhar e escrever ideias, mas apenas com técnicas secas. Não desenhei neles porque resolvi dar de presente para uma grande amiga que veio me visitar 🙂 Se ela deixar, depois publico os maravilhosos letterings que ela faz, hehe.

11

E por fim, o mini-caderninho, que na verdade é um chaveiro porta post-it. Super legal! Não sei ainda onde pendurar, porque morro de medo de perder por aí. Mas achei super fofo, e é uma ótima ideia de presente 🙂

16

E ufa, caderno pra caramba! Nem acreditei que ganhei tanta coisa. Vou encher todos eles de desenhos nas próximas semanas e já divulgarei nas minhas redes sociais. Para quem ainda não conhecia a Miolito, vale muito a pena olhar o site e babar em tudo que eles produzem: http://www.miolito.com.br/

Espero que tenham gostado!

Té té 🙂

Anúncios

Meus materiais artísticos

capa

Oi, como vocês estão? Neste post vou falar sobre quais materiais eu uso para criar minhas ilustrações. Vale ressaltar que o que eu uso não é o melhor que existe por aí, inclusive no futuro pretendo renovar meus instrumentos de desenho a fim de me aperfeiçoar e testar coisas novas. Mas por enquanto é o que tem, e gosto bastante. Vou dividir os itens por categorias, assim fica mais fácil de explicar. E é isso, vamos lá!

No estojo/penal.

do-penal

1 – Caneta Marcador preto de tinta permanente da Pilot: Uso quando quero fazer traços mais encorpados, ou pintar áreas que quero que fiquem bem pretas. Você encontra em qualquer papelaria.

2 – Caneta Nanquim preta da Uni pin, ponta 0.05: É útil para quem gosta de fazer traços mega finos, ou no meu caso, fazer desenhos em miniatura. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

3 – Caneta Nanquim preta da Uni pin, ponta 0.3: A caneta que mais uso quando quero finalizar algum desenho com traços pretos. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

4 – Caneta Nanquim preta da Sakura Pigma Brush: É uma caneta difícil de usar porque a ponta é tipo um pincel. Eu desisti de usar para traçar desenhos, porque tem que ter muita paciência para não sair da linha, porém o resultado fica bem legal. Eu uso para escrever meus textos nas ilustrações. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

5 – Caneta de gel branca da Uni-ball Signo: Essa caneta é bem legal para fazer detalhes nas pinturas finalizadas. Eu uso para fazer os pontinhos brancos nas galáxias, detalhes nas roupas dos personagens, escrever textos em fundos coloridos, etc. ACHO que você encontra em qualquer papelaria. Ou então em lojas/sites de materiais artísticos. Porém, acabei de ganhar uma caneta branca da Posca (valeu Wal e Zã <3) e farei uma comparação das duas em breve.

6 – Lápis da Koh i noor hardtmuth, grafite B: Eu não gosto de usar muito lápis, prefiro lapiseira. Esse aí tenho desde o primeiro semestre da faculdade e uso de vez em quando pra variar. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

7 – Lapiseira da Pentel, ponta 0.3mm com grafite B ou HB: É uma lapiseira que achei aqui em casa (devia ser da minha mãe) e o grafite ainda não acabou, então não sei qual é. Uso para fazer todas as minhas aquarelas finais, pois a ponta é tão fina e o grafite tão sequinho que quase não marca no papel, e isso é uma vantagem importante. ACHO que você encontra em qualquer papelaria. Ou então em lojas/sites de materiais artísticos.

8 – Lapiseira da Pentel, ponta 0.5mm com grafite da Pilot 2B: Essa lapiseira eu devo ter desde o ensino fundamental, ela dura bastante! Gosto de usar para fazer rascunhos, mais por causa do grafite 2B que é suave e mais expressivo, você consegue soltar melhor o traço. Não uso para minhas aquarelas porque ele borra muito e a marca do grafite não sai. ACHO que você encontra em qualquer papelaria. Ou então em lojas/sites de materiais artísticos.

9 – Grafite da Pilot B ponta 0.3: Ainda não usei, é para repor a Lapiseira ponta 0.3. Você encontra em qualquer papelaria.

10 – Grafite da Pilot 2B ponta 0.5: Até agora é a marca de grafite que mais gostei. Esse 2B é super suave e uma maravilha para desenhar. Você encontra em qualquer papelaria.

11 – Borracha disco da Faber-Castell: Ela não é a melhor borracha do mundo, mas o formato dela é super útil! Por ser um disco, ela tem os cantos fininhos que servem para apagar pequenas áreas sem danificar o que está em volta. E também acho a qualidade dela boa, não borra, e não danifica muito o papel. Você encontra em qualquer papelaria.

12 – Borracha da Coca-Cola (?): Não sei mais informações porque está tudo escrito em japonês. É uma borracha com textura estranha, com cheiro de coca-cola, mas é a melhor que já tive na vida! Apaga muito bem e o melhor de tudo: não danifica o papel nem tira tinta do nanquim. O lance do nanquim é que quando você faz um desenho a lápis, passa o nanquim por cima e depois apaga o lápis, a borracha acaba tirando um pouco da tinta do nanquim, e aí os traços ficam meio foscos. Não sei onde você encontra. Ganhei do meu amigo (Couti <3) quando ele voltou do Japão.

Pincéis.

pinceis

1 – Pincel pelo de marta da Tigre 308, tamanho 0: Eu uso para detalhes na aquarela, ou para pinturas em miniatura. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

2 – Pincel pelo de marta da Artistica Dibu 100, tamanho 10/0: Mesma função do anterior. Não sei se existe no Brasil para vender, um amigo meu (André <3) comprou pra mim na Argentina.

3 – Pincel pelo de marta da Artistica Dibu 100, tamanho 5/0: Mesma função dos anteriores. Também foi comprado na Argentina.

4 – Pincel pelo de marta da Artistica Dibu 100, tamanho 4: Uso para fazer pinceladas pequenas/médias. Também da Argentina.

5 – Pincel pelo de marta vermelha da Pelikan S.53, tamanho 6: Meu pincel favorito! Consigo usar para pinturas grandes e pequenas, só saber como manusear. Também da Argentina.

6 – Pincel  Sable Touch Pinctore da Tigre 482, tamanho 20: Comprei para preencher áreas maiores. Bom para pintar fundos, céus, mar, etc. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

7 – Pincel  Sable Touch Pinctore da Tigre 483, tamanho 20: Também comprei para preencher áreas maiores. Bom para pintar áreas inteiras. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

8 – Pincel com reservatório da Pilot Japan: É um pincel super prático! Você consegue fazer desde traços bem finos à bem robustos, com pouca água, muita água, etc. Sem contar que com ele você não precisa de um potinho com água e isso ajuda muito nos casos de pintura ao ar livre. O único problema é que para conseguir controlar leva um tempo. Se quer usar para aquarela, NÃO carregue com tinta, muito menos com nanquim, porque vai ficar manchado para sempre. Essa marca não sei se tem no Brasil, pois foi um presente, mas com certeza você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

Papéis.

papel

1 – Bloco Canson Desenho 160g/m² Reciclado, tamanho A4: Não é adequado para aquarela, mas eu uso mesmo assim haha. Não tive grandes problemas, o papel ficou só um pouco enrugado. É uma opção mais barata para quem quer só treinar aquarela por enquanto. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

2 – Bloco Canson Aquarela 300g/m², tamanho A4: É o papel que eu uso para as minhas aquarelas importantes. Tem outras marcas muito melhores, mas este da Canson eu acho bom (e acessível) pro que eu quero no momento. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

Cadernos.

cadernos cadernos-abertos

1 – Caderno da Moleskine Watercolor, tamanho A5, formato paisagem (aquele da fitinha rosa-claro): Antes dele eu tinha um igual mas em tamanho A6, que ganhei da minha amiga Camila ❤ dos EUA. Acho muito boa a qualidade da folha, e o caderno é bem resistente. Não encontrei no Brasil, então esse comprei nas minhas férias no estrangeiro. Porém, há pouco tempo fiquei sabendo de uma marca de cadernos artesanais, a Miolito, e tô louca pra testar! 🙂

2 – Caderno da Cícero, tamanho A5: Gostei bastante desse caderno, a qualidade é bem boa e é resistente. Eles tem capas muito lindas, não resisti, e comprei uns 3 ao mesmo tempo <3. SÓ QUE não use para aquarela (testei e não deu muito certo hehe). O papel é muito fino, e eu uso como caderno de rascunhos e ideias. Você pode encontrar em papelarias ou no site deles.

Aquarelas.

aquarelas

1 – Estojo de Aquarela de pastilha da Winsor & Newton Cotman Water Colour: Acho que é a melhor opção de qualidade-preço. Gosto muito e tenho desde meus 12 anos! (conta aí uns 10 anos sem uso) E ela ainda está funcionando super bem. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

2 – Aquarelas de bisnaga da Winsor & Newton Cotman Water Colour: Essas eu comprei primeiro uma caixa e depois fui comprando avulso. Têm cores difíceis de conseguir que não vêm no estojo de pastilha, como o roxo, o vermelho e o preto. A qualidade da tinta não é tão boa como a da pastilha, mas cumpre sua função. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

Utilidades.

gode-e-etc

1 – Godê da Corfix: É de plástico, tem várias divisórias, e se você usa APENAS para aquarela, dá para limpar facilmente com água. Tenho desde a faculdade, devo ter pago menos de 10 reais, e acho bem útil esse modelo porque tem buracos mais fundos e outros mais rasos onde dá para fazer misturas. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos. Mas, também dá para usar caixas de bombom, e outras embalagens de plástico que tenham lugar para misturar tinta.

2 – Pano: Esse pano é literalmente um qualquer que peguei na minha casa. Nunca cheguei a me preocupar com qual tipo de tecido é melhor limpar o pincel, imagino que o mais importante é que absorva água e é isso aí (que comentário profissional haha). Você encontra em qualquer lugar que venda tecido, ou na sua casa.

3 – Potinho: É o recipiente onde coloco água para molhar o pincel, para limpar, etc. Esse é de plástico e arranjei no 1,99. Mas pode ser de vidro, ou outros materiais que não soltem nenhuma substância na água. Você encontra em lojas de cacarecos ou na sua casa.

Outros.

outros-materiais

1 – Caixa de lápis de cor aquarelável da Faber-Castell de 36 cores: Gosto de usar para fazer detalhes nas minhas aquarelas, contornar a ilustração ou fazer sombras. Prefiro o lápis aquarelável por ser mais macio e a cor fica mais forte. Eu ganhei de aniversário (brigada Bruno <3) mas você pode encontrar em qualquer papelaria (se a onda do livro de colorir tiver passado haha).

2 – Aquarela líquida da Ecoline: Esse tipo de aquarela é útil para quando você quer uma cor bem concentrada. Dá para usar direto do pote, e só acrescentar água se precisar da cor mais aguada (no caso, misturar com água no godê, não no frasco). Acabei comprando porque achei na promoção, e queria testar. Porém tenho a impressão que essa tinta já está velha (por isso na promoção) e as vezes o efeito no papel não fica tão bom. Você encontra em lojas/sites de materiais artísticos.

3 – Bisnagas de tinta acrílica da Acrilex e Corfix: Nas minhas aquarelas só uso tinta acrílica quando quero fazer alguns detalhes em branco (em vez de usar a caneta branca). Mas algumas vezes gosto de variar e faço pinturas em acrílica, principalmente em papel craft. Se quer começar a pintar com essa técnica, sugiro comprar as cores: amarelo, ciano (azul-claro), magenta (rosa), preto e branco. Com isso você consegue fazer misturas para obter todas as outras cores. Ah, e os pincéis que eu uso são diferentes daqueles para aquarela, eles são mais baratos e simples. Esqueci de tirar foto.

sorvete

E é isso. Tenho outros materiais artísticos, mas são esses do post que eu uso no meu dia a dia. Dá para notar que muitas das coisas citadas eu ganhei de amigos. Isso porque é uma ótima oportunidade para presente de aniversário, então avisem a galera e os parentes! Porque material de desenho/pintura não é barato. Se não, não tenham medo de gastar, porque uma coisa é certa: dura muito! A prova tá na minha caixinha de aquarela que já tem 13 anos e a tinta tá ótima. E dura também no sentido de não gastar tão rápido, já que aquarela usa muita água, então não precisa de tanta tinta. E, bem importante, usar a aquarela que sobra no godê. Evite lavar e limpar o seu godê, a tinta que sobrar e ficar seca pode ser reutilizada outro dia, só acrescentar água que tá novinha em folha!

Espero que o post tenha sido útil 🙂

Té té.